Postagem em destaque

Slow Motion Bossa Nova - Celso Fonseca & Ronaldo Bastos

Encante-se ...!

sábado, 21 de julho de 2012

Uma ideia genial que vem de um designer venezuelano


Cookie Cup
First you drink the coffee, then you eat the cup! The Cookie Cup is designed by Venezuelan designer Enrique Luis Sardi together with Italian coffee c...
 ·  ·  · Ontem às 14:39 · colaboração de Herculano e Bruno

Narcotráfico faz jornal mexicano desistir de divulgar crime organizado

http://www.observatoriodaimprensa.com.br/news/view/apos_ataques_jornal_desiste_de_cobrir_crime_organizado

MÉXICO

Após ataques, jornal desiste de cobrir crime organizado

19/07/2012 na edição 703
Tradução: Larriza Thurler (edição de Leticia Nunes)
 O jornal mexicano El Mañana afirmou que não cobrirá mais as violentas disputas do crime organizado no país depois de sofrer um segundo ataque em apenas dois meses. No dia 10/7, três edifícios no norte do país onde funcionam jornais – incluindo o El Mañana  sofreram ataques com granadas. Outros jornais já haviam adotado, de maneira discreta, políticas semelhantes de não cobrir a violência dos carteis de drogas para proteger suas equipes contra ameaças e ataques violentos. O anúncio do El Mañana foi atípico por ser público.
O diário não deu os nomes de quem acredita estar por trás dos ataques, tampouco divulgou um possível motivo para os incidentes. “Pedimos a compreensão do público e vamos evitar, pelo tempo que for necessário, publicar qualquer informação relacionada à violência em nossa cidade ou em outras regiões do país”, escreveu o jornal, em editorial.
Violência crescente
A cidade de Nuevo Laredo, como boa parte do estado de Tamaulipas, vem sendo palco de batalhas sangrentas entre a gangue Zetas e o cartel do Golfo, apoiado por aliados do cartel Sinaloa. “Os conselhos administrativo e editorial foram forçados a tomar esta decisão lamentável por circunstâncias as quais estamos familiarizados e pela falta de condições adequadas para exercer livremente o jornalismo profissional”, declarou o El Mañana.
Desde 2000, 81 jornalistas foram mortos e 16 foram sequestrados no México por conta da guerra do narcotráfico. O Comitê para a Proteção dos Jornalistas, com sede em Nova York, alega que 48 jornalistas foram mortos ou desapareceram desde que o presidente Felipe Calderón lançou uma ofensiva contra carteis de drogas em dezembro de 2006. Informações da AP [11/7/12].

Brasil 2 X 0 Inglaterra // Críticas a Neymar, palmas para Neymar

http://blogs.estadao.com.br/antero-greco/2012/07/21/neymar-e-o-estimulo-a-mediocridade/

Neymar e o estímulo à mediocridade

ANTERO GRECO


Continua em destaque o desempenho de Neymar no amistoso de ontem contra a Grã-Bretanha. Realçam-se mais o “excesso de firula” do moço e as vaias que a torcida inglesa lhe mandou do que os passes certos, a participação no jogo e o papel que teve nos dois gols da vitória. Ou seja, se esmiúça o suposto lado negativo e se fecha os olhos para as qualidades.
Como não poderia ser diferente em ocasiões como essa não faltou a palavrinha comedida do treinador. Mano Menezes, no tom monocórdio das declarações dele, falou que o Brasil insistiu na individualidade, “que não tiveram consequências finais”. Em linguagem mais direta, quis dizer que Neymar foi além da conta. Até pode ser. Mas, e daí?
Neymar abusa – e acho ótimo isso. Abusa porque confia em si, porque tem habilidade, porque não tem medo de errar. Acredita nele, está com a autoestima em alta. Qualquer um que é diferenciado na profissão que escolheu ostenta o atrevimento como traço marcante da personalidade. A ousadia leva a sair do lugar-comum e faz com que se produzam coisas novas, surpreendentes. E erros também. Os criativos pisam na bola, e como!
Mas temos medo (e dor de cotovelo) do talento. Preferimos a “normalidade”, o meio-termo que não nos abale, que não nos tire do caminho habitual. No futebol, aplaudimos o drible, desde que não seja demasiado ou só se for de jogador do nosso time. Queremos a diversidade, pero no mucho. A vida não deve ter sobressaltos. E, como o esporte faz parte da vida, queremos enquadrar e enquadrar e enquadrar…
Neymar é extrovertido e irreverente. Por isso, às vezes passa das medidas. Não vi tanto exagero nos dribles ontem. E, em alguns momentos, percebi que brincar com os adversários era o caminho que encontrou para provocar a torcida, que o vaiava por um lance em que exagerou no contorcionismo de supostas dores após uma falta.
Era o jeito de dizer para o público que estava ali para divertir-se – e foi para cima dos marcadores. Aliás, quebrou a monotonia de um jogo ruim pra burro, contra uma equipe britânica insossa e sem graça. Neymar usou do melhor expediente que existe no futebol, que é a finta. Antes apelar para a habilidade (exagerada que seja) do que à violência. Esse é o recurso dos medíocres.

Teleférico é novo ponto turístico de Londres


Teleférico sobre Rio Tamisa é novo ponto turístico de Londres

12180647.jpeg (550×340)
TV Estadão | 21.07.2012
Apesar de ter sido construído para a Olimpíada, o teleférico vai continuar em atividade depois dos jogos e pode ser útil para quem vive na região
Clique no link abaixo para ver o vídeo


http://tv.estadao.com.br/videos,TELEFERICO-SOBRE-RIO-TAMISA-E-NOVO-PONTO-TURISTICO-DE-LONDRES,176031,255,0.htm


Estadão apresenta seu site na Olimpíada de Londres

http://olimpiada.estadao.com.br/

BLOGS

O QUE OS ATLETAS ESTÃO DIZENDO

  • Cortada da seleção, Iziane admite ato de indisciplina
    Divulgação
    'Levei meu namorado para dormir em meu quarto no hotel em algumas noites' - Iziane

FOCO OLÍMPICO

  • Fabiana Murer e Isinbayeva decepcionam no último teste
    Sebastien Nogier/EFE

Santana dos Montes, MG // Jornal Hoje/ Ciclo do Ouro

http://g1.globo.com/jornal-hoje/noticia/2012/07/turistas-visitam-trajeto-do-antigo-ciclo-do-ouro-em-santana-dos-montes.html

Turistas visitam trajeto do antigo ciclo do ouro em Santana dos Montes

Com clima bucólico, a pequena cidade mineira é cercada por fazendas coloniais que se transformaram em grandes hotéis. Local é ideal para relaxar e curtir a atureza. 


 Santana dos Montes, no interior de Minas Gerais, é uma cidade cercada de fazendas e belas cachoeiras e das delícias da culinária mineira, onde o turista pode passear pelo trajeto do antigo ciclo do ouro. O roteiro tem hotéis fazendas que preservam a história dos viajantes da estrada real.

A BR 040 e a MG 132 são as estradas usadas para chegar ao pequeno município. À primeira vista a impressão é de que a bucólica cidade de quatro mil habitantes parou no século XVIII, com ruas históricas e calçadas de paralelepípedos cheias de casas coloniais, igrejas e praças enfeitadas.
Acompanhe o Jornal Hoje também pelo twitter e pelo facebook.
O aconchego tipicamente mineiro se une com o charme da hospedagem rural em fazendas e sítios históricos, que oferecem atividades perfeitas para aliviar o stress, como cavalgadas e caminhadas em trilhas.
A maior parte das 14 fazendas do período colonial se transformou em hotéis fazenda sofisticados. O visitante pode conhecer de perto toda a tradição daquele tempo. A Fazenda Fonte Limpa, construída em 1742 e tombada como Patrimônio Histórico, é toda em estilo colonial.
Na Fazenda do Tanque, construída em 1893, o estilo colonial está na madeira das vigas, no túnel que leva à recepção, no antigo paiol que virou hospedaria e na vista para as montanhas de Minas Gerais. Para abrigar uma hospedaria, a fazenda foi toda restaurada.
 No hotel, inaugurado em 2002, o preço médio da diária varia de R$ 80 a R$ 300.