sábado, 10 de maio de 2014

O pessoal do PT é 'barra pesada'.... / Atentado contra a vida de Joaquim Barbosa

http://aluizioamorim.blogspot.com.br/2014/05/homem-que-desejava-atentar-contra-vida.html

sábado, maio 10, 2014


HOMEM QUE DESEJAVA ATENTAR CONTRA A VIDA DO MINISTRO JOAQUIM BARBOSA É UM INTEGRANTE DA COMISSÃO DE ETICA DO PT, REVELA A REVISTA 'VEJA'.
PROCURADO - A PF tenta descobrir a identidade de um tal "Antonio Granado", que incita os militantes a atentar contra a vida do ministro.Clique sobre a imagem para vê-la ampliada(Ilustração/facsímile do site da revista Veja)

Desde que o julgamento do mensalão foi concluído, em novembro do ano passado, o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, tornou-se alvo de uma série de constrangimentos orquestrados por seguidores dos petistas condenados por envolvimento no maior escândalo de corrupção da história. A chamada “militância virtual” do PT, treinada pela falconaria do partido para perseguir e difamar desafetos políticos do petismo na internet, caçou Barbosa de forma implacável. O presidente do Supremo sofreu toda sorte de canalhice virtual e foi até perseguido e hostilizado por patetas fantasiados de revolucionários nas ruas de Brasília. Os ataques anônimos da patrulha virtual petista, porém, não chegavam a preocupar Barbosa até que atingiram um nível inaceitável. Da hostilidade recorrente, o jogo sujo evoluiu para uma onda de atos criminosos, incluindo ameaças de morte e virulentos ataques racistas.
Os mais graves surgiram quando Joaquim Barbosa decretou a prisão dos mensaleiros José Dirceu, Delúbio Soares e José Genoino. Disparadas por perfis apócrifos de simpatizantes petistas, as mensagens foram encaminhadas ao Supremo. Em uma delas, um sujeito que usava a foto de José Dirceu em seu perfil no Facebook escreve que o ministro “morreria de câncer ou com um tiro na cabeça” e que seus algozes seriam “seus senhores do novo engenho, seu capitão do mato”. Por fim, chama Joaquim de “traidor” e vocifera: “Tirem as patas dos nossos heróis!”. Em uma segunda mensagem, de dezembro de 2013, o recado foi ainda mais ameaçador: “Contra Joaquim Barbosa toda violência é permitida, porque não se trata de um ser humano, mas de um monstro e de uma aberração moral das mais pavorosas (...). Joaquim Barbosa deve ser morto”. Temendo pela integridade do presidente da mais alta corte do país, a direção do STF acionou a Polícia Federal para que apurasse a origem das ameaças. Dividida em dois inquéritos, a averiguação está em curso na polícia, mas os resultados já colhidos pelos investigadores começam a revelar o que parecia evidente. Do site da revista Veja.
Para ler a continuação dessa reportagem compre a edição desta semana de VEJA no IBA, no tablet, no iPhone ou nas bancas.

Algumas coisas você sabia outras não...!

http://hypescience.com/20-coisas-que-voce-nao-sabe-sobre-o-sentido-dos-animais/?utm_source=feedburner&utm_medium=email&utm_campaign=Feed%3A+feedburner%2Fxgpv+%28HypeScience%29



sexta-feira, 9 de maio de 2014

Coisas da Política

Angry pundits wreck TV studio on air 7 de maio de 2014 10:45 The journalists were discussing the Syria crisis on Jordan's Seven Stars programme when the debate became heated By News from Elsewhere... ...media reports from around the world, found by BBC Monitoring Two pundits taking part in a Jordanian TV debate about media freedom in the Arab Spring became so angry with each other that they wrecked the studio on air. Journalists Muhammad Sharif al-Jiyusi (left) and Shakir al-Johari (right) were mid-way through a discussion on the Jordanian 7 Stars TV network when the tone became heated. One pundit accuses the other of "bartering his positions", prompting the offended journalist to say "shut up", in a video posted on the website of pan-Arab Al-Arabiya TV. The men quickly start pushing the studio table at each other until the top comes off, while a hapless TV host looks on. In the subsequent table-top tug-of-war, nobody seems to score a decisive victory. Later, al-Jiyusi says on his Facebook page he felt insulted by the way he had been called a supporter of Syria's ruling Baath party. It was "as if being a Baathist is a punishable charge, or an affront". Al-Jiyusi says he told the other pundit he is "honoured to be a Baathist" and is a correspondent for the Syrian state news agency Sana and of the al-Baath newspaper. Use #NewsfromElsewhere to stay up-to-date with our reports via Twitter. BBC © 2014

Fala sério !?

Confira o Tweet de @basketamericano: https://twitter.com/basketamericano/status/464743711667408897

Você sabia ?

Confira o Tweet de @revistasuper: https://twitter.com/revistasuper/status/464736951766368256

Conheça 5 mitos sobre a criação de filhos que ninguém tinha coragem de te contar:

O 'cocho" é bom...

http://blogs.estadao.com.br/jamil-chade/2014/05/09/blatter-anuncia-que-vai-concorrer-a-um-5o-mandato-na-fifa/
09.maio.2014 04:33:36


Blatter anuncia que vai concorrer a um 5o. 

mandato na Fifa

Suíço está há 38 anos na Fifa. Mas acredita que sua missão “ainda não terminou”. Decisão deve dominar Congresso da Fifa em São Paulo, em junho

GENEBRA – Com 78 anos, Joseph Blatter anuncia que vai disputar mais uma eleição e quer um quinto mandato consecutivo como presidente da Fifa. O suíço fez o anúncio ao jornal Blick, publicado na manhã de hoje pela Europa e o assunto deve dominar o Congresso da Fifa que ocorre antes da Copa do Mundo, em São Paulo.
A disputa pelo poder na Fifa conta ainda com Jerome Champagne, um diplomata e ex-alto dirigente da Fifa, e a grande expectativa é se Michel Platini, presidente da Uefa, anunciará ou não sua candidatura.
A votação está marcada para ocorrer em 2015. Mas a disputa pelos votos já é intensa. Blatter já viaja o mundo em busca de apoio, enquanto seus concorrentes tentam minar sua campanha.
Blatter, que está na Fifa há 38 anos e que acumula já quatro mandatos desde 1998, agora quer bater todos os recordes de seu antecessor, o brasileiro João Havelange e que tinha comandado a entidade por 24 anos. “Meu mandato está quase terminado. Mas minha missão ainda não”, declarou Blatter ao Blick. “Lanço-me a uma nova turnê”, disse.
Nesta semana, o secretário-geral da Fifa, Jerome Valcke, declarou que se Blatter se apresentasse como candidato, o processo eleitoral estaria terminado e que não haveria lugar para os concorrentes.
Antes de ser obrigado a deixar a CBF, Ricardo Teixeira era cotado como um dos candidatos para as eleições de 2015. Blatter considerava o brasileiro como seu rival mais ameaçador.

quinta-feira, 8 de maio de 2014

Maldade ou Verdade ?? / Sponholz

Ucrânia vive situação política delicada

East Ukraine rebel vote to go ahead 8 de maio de 2014 06:55 Three million ballot papers - enough for the whole Donetsk region - have been printed, reports Richard Galpin Pro-Russian activists in eastern Ukraine have said they will not postpone a referendum on autonomy planned for Sunday. The decision comes one day after Russian President Vladimir Putin urged delaying the vote to create the conditions necessary for dialogue. Ukrainian authorities said "anti-terror" operations would continue regardless of the rebels' decision. Millions of ballot papers have been prepared for the vote. "The referendum will take place on 11 May. We are getting ready, ballot papers are being printed, everything remains in force. Nothing will change, it will not be delayed," Russian news agency RIA Novosti quoted activists in the eastern region in Luhansk as saying. A pro-Russian activist leader in Donetsk, Denis Pushilin, said the decision to press ahead with Sunday's plebiscite was unanimous, the Associated Press news agency reported. The suggestion to postpone the vote may have come "from a person who indeed cares for the people of the southeast," he said, "but we are the bullhorn of the people". Military operation continues The European Union warned of the dangers of pressing ahead with the vote. "Such a vote could have no democratic legitimacy and would only further worsen the situation," a spokesperson for the EU foreign policy chief told reporters. The separatists' resolve to hold the referendum comes as a Pew Research Center poll released on Thursday shows that a strong majority of Ukrainians want their country to remain unified, even in the largely Russian-speaking east. Moscow has vowed to protect the rights of the largely Russian-speaking people in the south and east against what it calls an undemocratic government in Kiev. In the city of Sloviansk, funerals took place on Wednesday of those killed in clashes between the army and pro-Russia gunmen The southern port city of Mariupol has also witnessed unrest But in what appeared to be a shift in Russian policy, Mr Putin also said on Wednesday that this month's presidential elections in Ukraine were a move "in the right direction". His remarks came days after his spokesman said holding such an election would be absurd. Ukrainian interim Prime Minister Arseniy Yatseniyuk dismissed Mr Putin's calls as "hot air". Ukrainian authorities have rejected activist demands for greater autonomy and troops have been battling to regain official buildings occupied by rebels in the east. On Thursday Ukraine's national security council confirmed that military operations would continue. "The counterterrorist operation will go on regardless of any decisions by any subversive or terrorist groups in the Donetsk region," the council's secretary Andriy Parubiy said. The White House said the "illegitimate, illegal" plebiscite should be cancelled rather than postponed. The US and the European Union have imposed sanctions against several Russian individuals and businesses and threatened wider measures if Moscow interferes further in eastern Ukraine. Sunday's planned referendum was seen as a potential trigger for that. On Wednesday, President Putin also announced he was ordering Russian troops back from the Ukrainian border. But one day after Mr Putin's comments, Nato said there was still no sign of any Russian troop withdrawal. Unrest in the south and east of Ukraine has worsened since Russia annexed the Crimean peninsula in March. That followed the ousting of Ukraine's pro-Russian President Viktor Yanukovych in February by pro-Western protesters. BBC © 2014

Greve de parte da Polícia Federal tem repercussão mundial ...

Police threaten World Cup pay strike 7 de maio de 2014 22:05 In Rio de Janeiro, striking federal police officers wore t-shirts that read "SOS federal police" Federal police in Brazil have gone on strike over pay, and threatened to continue their protest during the football World Cup next month. A spokesman for the striking officers, Renato Deslandes, told the BBC that "at least 40%" of the force took part. He said their protest would continue if the government did not increase pay in line with inflation. The 24-hour walkout took place across Brazil, including some of the cities that will host the football tournament. A similar police strike last month in the north-eastern state of Bahia forced the authorities to deploy federal troops to restore order on the streets. On Wednesday, there were protests in Rio de Janeiro, Brasilia and Fortaleza, among other cities. There was no independent estimate of the number of police involved in the strike. In Rio, some 50 striking officers covered their mouths with red scarves and wore t-shirts that read "SOS federal police". The World Cup will be hosted in 12 cities, including Rio, from 12 June. The inflatable elephant symbolised what the protesters said was wasteful government spending They stood next to a life-sized inflatable white elephant that symbolised the government spending and the high cost of hosting the World Cup in Brazil. "Federal agents are the only category of workers whose salary has been frozen in the last five years," Renato Deslandes, Director of Communications for the National Federation of Federal Police Officers, told the BBC. "We are not looking for a real salary increase, but a re-adjustment in accordance with inflation during those five years," he said. A surge in food prices pushed inflation to 6.15% in the 12 months ending in March. Mr Deslandes said police salaries were now worth 35% less than in 2009. He added they would "continue striking in the coming weeks and during the World Cup if the government doesn't raise pay in line with inflation". The police are paid between 7,500 and 12,800 reais ($3,200-5,800; £2,000-3,400) a month before tax and social security contributions, the AFP news agency reported. Last month, thousands of soldiers were deployed to Bahia to maintain order after police went on strike for two days over pay. State officials said 39 people were killed in and around the state capital, Salvador, during the walkout - a much higher figure than normal - and shops were also looted. BBC © 2014

quarta-feira, 7 de maio de 2014

Um 'poste' que fala bobagens....

07/05/2014
 às 12:07 \ Opinião

‘Quem ficou rico com os prejuízos da Petrobras?’, José Nêumanne

Publicado no Estadão desta quarta-feira 
JOSÉ NÊUMANNE
A 36 dias da abertura da Copa do Mundo, o futebol vai se tornando o assunto predominante no Brasil, embora as pesquisas de opinião pública sobre a disputa da Presidência continuem em voga. Então, talvez não seja de mau alvitre recorrer a lúcidos ensinamentos do futebol para aplicar na campanha eleitoral. Este é o caso da máxima dos treinadores que mais ganham campeonatos seguindo uma lição simples: “Em time que está ganhando não se mexe”. Mas, com a importância cada vez maior dada ao marketing político nas democracias ocidentais, convém não esquecer o lema que está por trás de toda publicidade, seja comercial, seja religiosa, seja política, atribuído a Joseph Goebbels, o mago da propaganda do nazismo: “Uma mentira repetida mil vezes torna-se verdade”.
Candidata obstinada à própria reeleição, a presidente Dilma Rousseff pode até não ter pensado nas duas sentenças, mas, na certa, as aplicou quando repetiu o mantra com que seu antecessor, padrinho e agora pedra no sapato Luiz Inácio Lula da Silva derrotou Geraldo Alckmin, em 2006, e ela própria adotou para manter José Serra à distância, em 2010. Há oito anos, aparentemente debilitado pela denúncia do mensalão, o ex-presidente foi ajudado por uma campanha subliminar insinuando que os tucanos privatizariam a Petrobrás. O efeito deletério da patranha em seu desempenho fez o oponente vestir uma jaqueta com logomarcas de estatais, entre elas a Petrobrás. Em vão: teve menos votos no segundo do que no primeiro turno e deu-se a reeleição. Há quatro anos, a falácia levou Serra às cordas e o poste de Lula venceu.

Risco de vexame ns Copa

06/05/2014 às 17h09 (atualizado em 07/05)
 Aneel: obras de fornecimento de energia em 4 cidades-sede da Copa têm atraso significativo 

BRASÍLIA - Obras de estrutura elétrica de metade das cidades-sede da Copa estão atrasadas. Em quatro cidades Porto Alegre, Belo Horizonte, Manaus e Curitiba foram detectados atrasos significativos. Em alguns casos, as obras não serão entregues até o Mundial. É o que diz uma nota técnica da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) divulgada no dia 30 de abril. O relatório da Aneel identifica 35 obras com atrasos. A pior situação foi apontada em Belo Horizonte, onde sete obras da Cemig não serão concluídas a tempo para a Copa. Segundo a agência, a Cemig garante que o atraso não terá impacto no campeonato. Em Manaus, uma obra tida como indispensável para atingir o grau de confiabilidade exigido pela Fifa para a Copa ainda não foi concluída. A ampliação da subestação Seringal Mirim, sob responsabilidade da Amazonas Energia (AmE), está com 80% da montagem concluída. Neste caso, a obra deve ficar pronta ainda neste mês, conforme prometido pela empresa à Aneel. A distribuição de energia na área ao redor do estádio Beira Rio (Porto Alegre) causa preocupação. A obra que permitirá a alimentação principal do estádio estava com apenas 85% das obras civis e 42% da montagem realizadas. O trabalho é responsabilidade da Companhia Estadual de Distribuição de Energia Elétrica (CEEE-D) e, segundo a Aneel, a empresa havia prometido entregá-lo até o fim de abril. No Paraná, a Aneel apontou 13 obras atrasadas três delas para o fornecimento de energia do estádio da Copa sob responsabilidade da Companhia Paranaense de Energia (Copel). Na nota técnica, a agência afirma que a distribuidora garantiu que elas estarão concluídas este mês. No Distrito Federal e em Cuiabá os atrasos são de menor escala. No Distrito Federal há problemas em obras para aumentar a confiança em caso de falhas no sistema primário. A Companhia Energética de Brasília (CEB) ainda não concluiu as obras de subestação no Setor Hípico, que está com 98% de implantação, e na subestação do Estádio Nacional. Segundo a Aneel, a pendência encontrada na estação do estádio foi em instalação de cabos do segundo circuito subterrâneo, que é necessário apenas em caso de falha do primeiro circuito. Exigências mais rígidas Uma obra em atraso da Centrais Elétricas Matogrossenses S.A. (Cemat) é listada na nota técnica. A empresa promete entregar este mês a obra, que tem 90% da montagem concluída. A Fifa explica que são feitas recomendações sobre as condições ideais de estrutura nas cidades-sede fora dos estádios, mas elas não são obrigatórias. A entidade faz exigências mais rígidas para o padrão mínimo a ser atendido, mas somente da porta do estádio para dentro. Para as arenas da Copa, a Fifa exige instalação de duas entradas independentes de alimentação de energia elétrica, com obrigatoriedade de colocação de geradores. Segundo a Fifa, não há risco de falta de energia durante as partidas, já que a eletricidade necessária para alimentar os estádios nos jogos é fornecida por geradores, com redundância de fornecimento. 

Veja também: Governo diz que, se for necessário, adotará racionamento de energia Energia elétrica vai pesar 50% a mais no orçamento das famílias Conta de luz pode subir 18,7% em 2015 Governo amplia por 2 anos mandato do diretor-geral do ONS ONS descarta racionamento imediato, mas diz que pode 'propor medidas' em novembro Planejamento e reajuste de tarifas são alternativas para o setor elétrico, dizem especialistas Perdas das empresas de energia se houver racionamento podem chegar a R$ 28,7 bi Empresas de energia vão precisar de mais recursos

terça-feira, 6 de maio de 2014

Incivilidades...

06/05/2014 às 19h07
  Jardim Botânico aumenta segurança após parte do sistema de irrigação do parque ser destruído
 RIO - Um dia depois da ação de reintegração de posse do Clube Caxinguelê, a direção do Jardim Botânico decidiu aumentar a segurança no local. Durante a madrugada desta terça-feira, parte do sistema de irrigação do parque - responsável pelo fornecimento de água para as plantas, canteiros, lagos e banheiros usados pelo público - foi alvo de uma ação de vandalismo. Pode ter sido usada uma marreta para quebrar a principal canaleta que leva a água dos Rios Macacos e Iglesias para o Jardim Botânico. Para evitar novos atos contra o parque, serão instaladas, em breve, um total de 166 câmeras de segurança no local. O sofisticado sistema de irrigação do Jardim Botânico foi construído em 1837 pelo Frei Leandro, primeiro administrador do parque. Utilizando a captação de água dos rios, a rede é responsável pela irrigação das plantas de todo o complexo, com mais de mil metros de extensão. Fizemos um reparo emergencial na canaleta, mas somente na quarta-feira vamos poder terminar o conserto. Agora não sei exatamente o que aconteceu. Encontramos, na manhã desta terça-feira, o sistema de irrigação do parque destruído. As canaletas estavam secas, prejudicando o envio de água para os lagos, chafariz e para as plantas. Se alguém queria prejudicar as plantas do Jardim Botânico, conseguiu afirmou Claudison Rodrigues, diretor de Ambiente e Tecnologia do Jardim Botânico. Em nota, o Jardim Botânico informou que está botando mais seguranças em pontos-chave, e pediu ajuda a Polícia Militar para deixar policiais de plantão, com um carro, em frente à entrada do Clube Caxinguelê, que foi reintegrado ao Jardim Botânico na segunda-feira. Ainda segundo a nota, já existe um grupo de trabalho que está cuidando do redimensionamento da segurança por conta da cessão, ao Jardim Botânico do Rio, das terras da União no Horto.
 Veja também: As comunidades do Horto Jardim Botânico: ministra diz que decisão judicial deve ser cumprida Reintegração de posse de clube no Horto provoca tumulto Moradores do Jardim Botânico entram em confronto com policiais A reintegração de posse de clube no Horto O destino das áreas ocupadas do Jardim Botânico Canteiros e passarela no projeto da presidente do Jardim Botânico Como ficará o Jardim Botânico depois da reintegração Jardim botânico: moradores pedem que governo desista de retirar 520 famílias da área

Coitada da Petrobras.... Ela parece ser dirigida por PetroBlocks !

http://aluizioamorim.blogspot.com.br/2014/05/mais-um-vazamento-da-caixa-preta-da.html?utm_source=feedburner&utm_medium=feed&utm_campaign=Feed:+BlogDoAluizioAmorim+(BLOG+DO+ALUIZIO+AMORIM)

terça-feira, maio 06, 2014

MAIS UM VAZAMENTO DA CAIXA PRETA DA PETROBRAS

A compra de uma refinaria no Japão pela Petrobras, em 2008, foi aprovada pelo conselho de administração da empresa sem que ele fosse informado dos riscos do investimento, como ocorrera antes com outra aquisição controversa, a da refinaria de Pasadena, nos EUA, em 2006.
Documentos internos da Petrobras, aos quais a Folha teve acesso, mostram que o resumo enviado pela diretoria da estatal ao conselho, pedindo aprovação da compra da refinaria Nansei, em Okinawa, omitiu vários riscos identificados por áreas técnicas.
Na avaliação dos funcionários, a refinaria, que dava prejuízo aos japoneses, só se tornaria rentável se fosse adaptada para refinar o petróleo brasileiro, mais pesado, e dobrasse sua capacidade de produção para 100 mil barris por dia, mas essa informação não foi transmitida ao conselho.
Como informou na semana passada o jornal "Valor Econômico", restrições ambientais impediram a ampliação. O investimento previsto no momento da aquisição foi cancelado em 2011, e a refinaria continuou produzindo apenas 45 mil barris por dia.
Quando o negócio foi submetido ao conselho, em novembro de 2007, a Petrobras era presidida por José Sérgio Gabrielli e tinha a atual presidente, Graça Foster, como diretora da área de gás.
Nestor Cerveró, que dirigia a área internacional, preparou o resumo avaliado pelo conselho, então presidido por Dilma Rousseff. Em março, a presidente atribuiu a Cerveró a culpa por ter aprovado a compra de Pasadena, ao receber dele um relatório considerado "falho" por ela.
A aquisição de 87,5% de Nansei foi fechada em 2008, por US$ 331 milhões, incluindo estoques, pagos à antiga dona da participação, a Tonen General, subsidiária da Exxon. A japonesa Sumitomo detinha outros 12,5%.
A justificativa para comprar Nansei era "expandir os negócios em mercados rentáveis no exterior", dado o "expressivo crescimento do mercado asiático".
Segundo os documentos internos, as áreas financeira e de estratégia consideravam que a refinaria Nansei não era rentável porque o indicador usado para medir a expectativa de retorno na compra de uma empresa era negativo em US$ 215 milhões.
Esse indicador, sustentavam os técnicos, só tinha chance de ficar positivo, em US$ 252 milhões, se houvesse o investimento bilionário em ampliação e adaptação.
O documento enviado ao conselho, porém, trazia outra avaliação, feita pela área internacional, de Cerveró, para quem o negócio era rentável mesmo sem a ampliação.
O documento também não dizia que a legislação ambiental impedia a Nansei de produzir 100 mil barris. Consultada, a Petrobras não disse se a informação sobre a restrição, revelada ao jornal "Valor Econômico", era conhecida na época.
A área de estratégia também via dificuldade para integrar a operação da refinaria com o restante dos negócios da Petrobras, concentrados no oceano Atlântico, e alertou sobre o risco de "ter que carregar por algum tempo um ativo com baixa rentabilidade". Isso não consta do resumo enviado ao conselho.
A Petrobras investiu na unidade, até hoje, US$ 111 milhões, e tentou vendê-la no início de 2013, mas não conseguiu. Hoje, a refinaria é tida como "ativo não estratégico", e a empresa diz procurar alternativas ao negócio.
OUTRO LADO
A Petrobras reafirmou que a aquisição da refinaria "estava alinhada ao planejamento estratégico da época". A empresa não comentou as omissões no resumo enviado ao conselho. Gabrielli não quis comentar o caso. Cerveró não retornou à FolhaDo site da Folha de S. Paulo

Racismo de mão única...

06/05/2014
 às 15:12 \ Racismo

Qual é, branquelo? Ou: O racismo é seletivo

Fonte: ZH
Um caso ocorrido em uma boate de Porto Alegre neste sábado e relatado pelo jornal Zero Hora mostra como a questão do racismo pode ser seletiva:
Militante do movimento negro em Porto Alegre, o estudante de Relações Internacionais da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) Thales Machado, 20 anos, denunciou um funcionário da boate Beco203 à polícia por racismo. A confusão aconteceu na noite do último sábado, dia 3. O jovem diz ter sido chamado de “negrinho racistinha” quando entrava no local com um grupo de amigos para comemorar o aniversário de um deles:
– Na hora de fazer o cadastro no caixa, um amigo esbarrou em mim e eu disse ‘qual é, branquelo?’, como sempre faço. O caixa falou ‘aqui tu não entra, aqui não entra racista’. Eu questionei e ele falou ‘tu é um negrinho racistinha’. Os meus amigos ficaram mais alterados do que eu com a situação.
A situação levanta uma questão importante: só é racismo quando a vítima pertence às “minorias”? Se o amigo tivesse falado “qual é, negão?”, as coisas seriam diferentes? Pode chamar os outros de “branquelos” por aí? Em meu livro Esquerda Caviar, tratei do tema “racismo reverso”, para lembrar que também há o racismo de negros contra brancos:
O combate ao racismo é bastante seletivo: ignora o ódio aos brancos. Miles Davis, grande ícone do jazz, disse certa vez que, se alguém lhe contasse que tinha somente mais uma hora de vida, passaria esse tempo asfixiando um homem branco. E faria isso com calma e bem devagar. Já Spike Lee, que nunca perde uma oportunidade de expor seu ódio aos brancos, sugeriu que dessem um tiro em Charlton Heston, presidente da National Rifle Association, e ainda especificou o calibre que deveria ser usado.
O ator vencedor do Oscar, Jamie Foxx, foi na mesma linha. Ele, que ganhou as manchetes dos jornais ao chamar Obama de “nosso senhor e salvador” (amém!), resolveu fazer uma brincadeira no programa “Saturday Night Live” ao comentar sobre seu último filme, Django Livre: “Eu mato todas as pessoas brancas no filme. O quão fantástico é isso?” Como diria Galvão Bueno: pode isso, Arnaldo?
Esse “racismo reverso” ficou bastante evidente quando uma stripper negra acusou três rapazes brancos de estupro na Duke University, em 2006. O caso era bom demais para ser verdade, pela ótica da marcha dos oprimidos. Ela, uma dançarina negra e pobre; eles, brancos e ricos, jogadores do time de lacrosse da faculdade. Um prato cheio aos abutres de plantão, que partiram para um precipitado linchamento moral antes de melhor averiguar os fatos.
Após prisões, muitas acusações virulentas da grande imprensa esquerdista e várias teses de sociólogos, que acusavam os brancos de inclinação ao estupro das pobres negras, ficaria provado que a moça, cuja reputação não era das melhores, mentira. Além disso, estatísticas oficiais americanas mostram que os casos de estupro ocorrem em proporção infinitamente maior entre homens negros contra mulheres brancas do que entre brancos contra negras.
Mas esses eram apenas fatos, e a esquerda não liga para isso. A ideologia da vitimização precisa vir antes, e, após muita histeria e cobertura enviesada da imprensa, o assunto simplesmente foi deixado de lado, com os jornalistas ávidos pela próxima história quente onde pintar as minorias como vítimas de brancos ricos e, portanto, malvados.
O melhor exemplo do duplo padrão que resultou da “marcha dos oprimidos” talvez seja comparar a (justa) revolta que gera a simples menção da Ku Klux Klan (KKK), com a absoluta negligência diante dos crimes hediondos praticados pelo grupo Black Panther (Panteras Negras) nos Estados Unidos. Criado em 1966 na Califórnia, o Black Panther se envolveria em diversos crimes, tais como tráfico de drogas, estupro ou assassinato.  Como, porém, fazia tudo com cores marxistas, sob o discurso anticapitalista, contava com o aval da esquerda caviar.
Tom Wolfe capturou em seu livro Radical Chic a essência dessa beautiful people, que usa suas milionárias coberturas para levantar fundos a grupos criminosos como o Black Panther. Wolfe é também o autor da novela A fogueira das vaidades, que viraria filme, dirigido por Brian De Palma, com Tom Hanks, Bruce Willis, Melanie Griffith e Morgan Freeman. Vaidade, a marca registrada da esquerda caviar.
A narrativa de vitimização das “minorias” é tão forte que todos encaram com a maior naturalidade uma banda chamada “Raça Negra”, enquanto com certeza geraria a maior celeuma se uma banda resolvesse se chamar “Raça Branca”. Há uma charge que circulou bastante pelas redes sociais que captura bem esse duplo padrão estranho:
charge

Como podemos ver, a esquerda usa e abusa do velho “um peso, duas medidas”.
Rodrigo Constantino

Banco alemão faz alerta para investidores no Brasil...

06/05/2014
 às 18:00 \ Política & Cia

Deutsche Bank alerta investidores para ‘risco’ de reeleição de Dilma

dilma2
Com a possibilidade de reeleição da presidente, Deutsche Bank alerta investidores sobre o otimismo exagerado em relação ao Brasil (Foto: Presidência da República)
Texto de Fábio Alves publicado no jornal O Estado de S. Paulo
O banco Deutsche Bank está recomendando os seus clientes a reduzirem sua exposição aos títulos da dívida soberana brasileira denominados em dólar citando como uma das principais razões a perspectiva de reeleição de Dilma Rousseff e o “otimismo” demasiado dos mercados em relação a uma melhora nos fundamentos macroeconômicos do Brasil num eventual segundo mandato da presidente.
O banco alemão espera uma eleição apertada e apenas decidida no segundo turno.
Em nota enviada a clientes ontem, o estrategista para mercados emergentes do Deutsche Bank, Hongtao Jiang, rebaixou o peso dos títulos soberanos do Brasil em dólar de “neutro” para “underweight” (abaixo da média dos títulos que compõem a carteira sugerida para mercados emergentes), o que levaria os investidores a reduzir as suas aplicações nos papéis brasileiros em favor de outros países emergentes.
O Deutsche Bank havia elevado o Brasil para o peso “neutro” em janeiro deste ano, depois de ter deixado os títulos brasileiros por mais de um ano na posição “underweight”. Contudo, diante da recente valorização dos ativos brasileiros e da perspectiva dos fundamentos macroeconômicos, o banco voltou atrás e rebaixou novamente o País.
Jiang também recomenda os investidores favorecerem os títulos com vencimentos mais longos na curva de juros em dólar do País.
57321-the-deutsche-bank-headquarters-in-frankfurt
Depois de elevar a avaliação do Brasil, o banco alemão voltou atrás e garantiu que o preço dos títulos brasileiros não compensa (Foto: Deutsche Bank)
“Seguimos esperando que a presidente Rousseff seja reeleita, mas apenas após uma corrida presidencial apertada e com um apelo mais populista”, afirma Jiang em nota a clientes. “Além disso, acreditamos que o mercado está precificando muito otimismo sobre uma melhora potencial de políticas num segundo mandato de Dilma.”
Segundo Jiang, o sub-índice Brasil (na carteira de índices de mercados emergentes globais) registrou uma queda de 25 pontos-base desde o final de março. Uma queda refletiria teoricamente uma melhora na percepção do risco-País.
Agora, segundo Jiang, o sub-índice Brasil está sendo negociado a 15 pontos-base abaixo da média dos títulos de países emergentes com rating soberano de grau de investimento, enquanto que no final de janeiro os papéis brasileiros eram negociados a 30 pontos-base acima da média dos países emergentes com nota de risco semelhante.
Esse nível atual de preços dos títulos brasileiros, ressaltou Jiang aos clientes do Deutsche Bank, “não compensa o risco de contínua deterioração dos fundamentos caracterizados por estagflação, piora no balanço de pagamentos, deterioração da qualidade fiscal, e um horizonte desafiador de política econômica antes e depois das eleições”.
Para continuar lendo, cliquem aqui.