terça-feira, 4 de agosto de 2015

“É mais fácil matarem Dirceu do que ele fazer uma delação”, diz advogado de José Dirceu

http://veja.abril.com.br/blog/augusto-nunes/direto-ao-ponto/o-guerrilheiro-de-festim-fuzila-a-verdade-no-vale-reprise/
04/08/2015
 às 22:19 \ 
Direto ao Ponto

Dirceu talvez descubra em Curitiba que fazer as pazes com a verdade é menos absurdo que morrer na cadeia por Lula

Conforme as circunstâncias e as conveniências, o companheiro José Dirceu jura ter feito o que nunca fez ou nega ter sido o que comprovadamente fez. Ao ser despejado da Casa Civil em meados de 2005, por exemplo, o doutor em luta armada que só atirou com balas de festim caprichou na pose de guerrilheiro condecorado para proclamar-se “camarada de armas” de Dilma Rousseff. Em novembro de 2010, no trecho do Roda Viva reproduzido no vídeo acima, amputou um bom pedaço da biografia com a frase espantosa: “Eu não era deputado no governo Fernando Henrique”.
“Eu fui eleito em 78″, acrescentou sem ficar ruborizado. Só se foi eleito Comerciário do Ano de Cruzeiro do Oeste, no interior do Paraná, onde se entrincheirou na caixa registradora do Magazine do Homem entre 1975 e 1979, quando a decretação da anistia animou o falso Carlos Henrique Gouveia de Mello a restaurar o nome de batismo e retomar a militância política. Virou deputado federal em 1991 e só deixou a Câmara para assumir a chefia da Casa Civil em janeiro de 2003. Enquanto FHC presidiu o país, o cardeal do PT liderou a mais raivosa bancada oposicionista da história do Congresso.
A menos que um gêmeo univitelino tenha exercido o mandato e circulado pela Câmara com o nome do irmão, as fotos que aparecem no vídeo comprovam que o ex-deputado federal é capaz até de negar que foi deputado federal. Coerentemente, o chefe da quadrilha do mensalão continua jurando que não chefiou a quadrilha do mensalão. Previsivelmente, o reincidente sem cura alcançado pela Operação Lava Jato agora faz de conta que conhece só de vista os diretores da Petrobras que nomeou, que nunca ouviu falar nos empresários que extorquiu disfarçado de consultor e que soube do Petrolão pelos jornais.
“É mais fácil matarem Dirceu do que ele fazer uma delação”, garantiu nesta terça-feira seu advogado Roberto Podval. Ele sempre foi incompatível com a verdade. Mas talvez descubra na cadeia em Curitiba que é mais fácil ressuscitar a memória do que morrer por Lula.