sexta-feira, 25 de setembro de 2015

"A esquerda deve ser enterrada por aqui, e com ela suas bolsas-miséria, sua justiça achada no lixo, o aparelhamento pusilânime da coisona pública e o golpe picareta, cacarejado por dez entre dez destes calhordinhas banhados em tinas de sucrilhos. Quer as pessoas aceitem ou não, o PMDB veio muito mais talhado para a missão que seus amiguinhos de outrora, pais do Plano Real e da estabilidade econômica..." / Vlady Oliver / coluna de Augusto Nunes...



25/09/2015
 às 1:50 \ Opinião

O ranço fundo

VLADY OLIVER
Bem pra lá do fim do mundo, assisti hoje - 24/09 - atentamente ao programa político do PMDB. E também acho que chegou a hora da verdade. Como profissional acostumado a este tipo de discurso político, convido os demais leitores a uma reflexão menos bairrista e acostumada apenas à leitura certinha, feita sempre pelos tucanos da nossa realidade turva: o que há de errado com o discurso peemedebista? Eu não vi absolutamente nada.
Pelo contrário. Vi um discurso coeso, coerente, tranquilo e conciliador. Não vi a oportunista Kátia, por exemplo, a outrora toda-poderosa do alface e da cenoura, metida com a batata até o talo na nau dos insensatos da mulher barbada. Vi o mordomo de turno no melhor papel de sua vida; o papel de sucessor natural dessa mondronga aboletada no poder.
Confesso que cansei de esperar o PSDB ser a oposição mentirosa a tudo isso que estamos assistindo. O Brasil não é a Venezuela e não pode ser uma sucursal da Bolívia, como querem todos estes golpistas do socialismo irmanadinhos na rapina. Se o PMDB se apressou hoje em fatiar o governo, tomando da petralharia alguns postos das casamatas ministeriais que a turba montou para se locupletar no poder, não era o caso de estarmos comemorando?
Que raio de visão turva da realidade é  essa, que enaltece os feitos até de um petista convertido no final da vida — coisa que também louvo — e não vê que outros pelotões estão entrando em campo para tirar a mulher barbada da cena? Acho sim que é a hora da verdade. Que ela não nos falte, em troca de uma camisa de time de segunda divisão, um macacão forrado de estatais falidas ou um agasalho de penas de tucano falsas como o socialismo chinfrim que todos eles professam juntinhos.
A esquerda deve ser enterrada por aqui, e com ela suas bolsas-miséria, sua justiça achada no lixo, o aparelhamento pusilânime da coisona pública e o golpe picareta, cacarejado por dez entre dez destes calhordinhas banhados em tinas de sucrilhos. Quer as pessoas aceitem ou não, o PMDB veio muito mais talhado para a missão que seus amiguinhos de outrora, pais do Plano Real e da estabilidade econômica.
Já disse aqui mesmo: pergunte a um tucano e ele lhe dirá que o Plano Real colocou milhões na linha DE CONSUMO. Uma linha sequer gastaram para louvar aqueles que foram ludibriados pelo socialismo picareta e se colocaram na linha DE PRODUÇÃO. Estes foram feitos de otários lá atrás, pelo comecinho da rampa em que nos meteram. Pagaram suas dívidas com o dólar nos mesmos patamares de hoje.
Chega a ser hipócrita dizer que um plano levado a cabo num governo peemedebista é obra e graça tão somente das brilhantes mentes tucanas. Esquece o tucano e conta agora a do papagaio. O  que estou dizendo é que os atores até podem não convencer, mas a novela é boa e está bem escrita. Se vão roubar o script mais tarde, acostumados que estão com o troca-troca que se desenrola em Brasília, isto já sou outros quinhentos. Estaremos aqui para bater o mesmo bumbo que serviu para apear petralhas. Bateremos o bumbo com toda força novamente.
No momento, comemoro sozinho o que me parece o cotovelo dessa história; o lugar onde o braço dobra. O discurso que eu queria ouvir já ouvi. Espero que se torne realidade. Para mim, eu desejo mesmo é a esquerda quentinha, ardendo no inferno. Nunca mais vão me enganar novamente. Nunca mais terão meu voto. Nunca mais me convencerão, pelo discurso que não assumiram, pela defesa que não fizeram de nossa combalida cidadania.
Cada vez que saio na rua, vejo a indústria das multas, das placas, das ciclofaixas, o falecido Controlar, o asfalto regurgitado, as tabuletas abatidas, as sacolinhas plásticas exterminadas, os extintores extintos, a tomada de três dedinhos e os reservatórios, secos como o traseiro de um genuíno. E me pergunto: esses caras merecem a minha simpatia? Não a terão novamente. Nunca mais. Escrevam daí que eu já escrevi daqui: pra mim, esquerda NUNCA MAIS !!!!