quarta-feira, 2 de dezembro de 2015

Sindicato de Bancários de SP está mal visto por conselheira do BB que pede investigação por atos contra trabalhadores durante greve recnte

Conselheira do Banco do Brasil quer que MP investigue Sindicato dos Bancários

Representação de Juliana Publio afirma que dirigentes sindicais de São Paulo atuaram contra os trabalhadores durante a greve do mês passado

MURILO RAMOS
02/12/2015 - 17h40 - Atualizado 02/12/2015 17h40


Bancários de todo o país entram em greve por tempo indeterminado a partir desta quinta-feira (19). Em Brasília, agências amanhecem com as portas fechadas (Foto: Wilson Dias/ABr)
greve dos bancários - que durou 21 dias e terminou no dia 26 de outubro - continua a render. É que a conselheira representante dos trabalhadores no Conselho de Administração do Banco do Brasil, Juliana Publio, protocolou na semana passada uma representaçãocontra a diretoria do Sindicato dos Bancários de São Paulo na Procuradoria Regional do Trabalho. Ela pede a instauração de um inquérito para apurar a ação dos dirigentes sindicais durante a assembleia, que aceitou a proposta patronal de reajuste de 10% (0,11% de aumento real) nos salários da categoria e, na opinião dela, prejudicou a categoria. Segundo relata o documento, o sindicato adotou medidas contrárias à vontade dos trabalhadores e a favor dos bancos.
Um dos exemplos levantados por Juliana foi a negociação separada entre os servidores dos bancos públicos e dos bancos privados, algo que, segundo ela, jamais ocorrera. Além disso, alega que o sindicato não fez questão de recontar os votos durante assembleia dos bancos públicos.  A Procuradoria Regional do Trabalho ainda não se manifestou sobre o assunto .