Postagem em destaque

Slow Motion Bossa Nova - Celso Fonseca & Ronaldo Bastos

Encante-se ...!

sábado, 30 de maio de 2015

G1 fotos da semana...


Use o link para ver 50 fotos da semana

http://g1.globo.com/fotos/fotos/2015/05/fotos-imagens-da-semana-de-24-30-de-maio-de-2015.html#F1645045
Veja as 50 FOTOS que marcaram 
a semana no Brasil e no mundo (Shin Young-Geun / Yonhap / Reuters)


Quem desconfiava que não daria certo um governo Dilma ? Quantos de nós tinha certeza ? // Um recado de Celso Arnaldo Araujo


30/05/2015
 às 18:22 \ Direto ao Ponto

Revejam o post de dezembro de 2009: não foi por falta de aviso que tantos eleitores autorizaram a consumação do naufrágio

Leiam o recado de Celso Arnaldo Araújo, o jornalista que descobriu o dilmês :
Algum dia ela governou o que diz? Esta coluna, desde o “Pra mim sê pré”, de 2009, é a prova abundante — talvez a única e mais legítima — do vergonhoso despreparo da presidente, para o qual, só agora, se voltam a atenção e o espanto (inter)nacionais.
Não, não é insanidade mental — que ela e seus mantenedores são bem espertos. Os mexicanos a editam, a bem da inteligibilidade da chefe de estado de um país amigo. A companheirada do Portal do Planalto simplesmente a transcreve, sem tirar nem pôr, dando um olé no Brasil que pensa.
É ignorância no seu estado mais bruto, mais insuperável, o ponto mais baixo da República brasileira. A nossa Dilma.
A expressão “Pra mim sê pré” aparece no post publicado em 2 de dezembro de 2009. Vale a pena revê-lo:
DILMA, O EU E O MIM
Ainda convalescendo do espanto, transfiro para o Direto ao Ponto o comentário do jornalista Celso Arnaldo que acabo de ler. Segurem-se. (AN)
Há imagens que não falam por si e áudios que dizem tudo.
Ligo o rádio do carro, hoje cedo, e ouço o locutor anunciar que Dilma – embora tenha começado a aparecer na TV com a pompa e a circunstância de presidenciável, nos primeiros teasers de sua campanha – ainda não se considera candidata do PT à sucessão do Lula, aliás sequer pré-candidata. Entra o áudio de Dilma, naquele inconfundível “um tom acima”:
- Pra mim sê pré….
Para por aí. Não interessa o que vem depois (“…tenho que passar pela convenção do PT”). Esse “Pra mim sê pré” poderia ser, quando nada, a mais curta e cruel (contra seu autor) frase internada no Sanatório. E, se eu tivesse tempo e interesse, seria o título, o mote e o resumo de uma longa tese de mestrado sobre o mais absoluto e chocante equívoco político da história de nossa República.
“Pra mim sê pré”: quatro monossílabos, cada qual contendo um erro essencial ou uma corruptela vulgar. Mas o “pra mim ser” ultrapassa qualquer barreira da desarticulação linguística. Eu, se sou RH, desclassifico na hora o candidato a vaga de assistente administrativo que diga “pra mim fazer” – mesmo que tenha quase mestrado e quase doutorado no currículo. Porque é erro incorrigível – já integra a estrutura mental de quem acha que mim conjuga verbo.
Por experiência própria, pessoas que falam “pra mim fazer” falarão “pra mim fazer” a vida toda, mesmo sendo corrigidas a vida toda.
No caso de Dilma, a prosódia troncha, de mineira de fachada, ainda transforma o ser em “sê”, o que dá à frase uma conotação sonora sincopada, meio mística.
“Pra mim sê pré”: um mantra à suprema ignorância humana.
Abraço
Celso Arnaldo
Volto para o curto registro: perto de Dilma Rousseff, Lula é um Machado de Assis. (AN)
Fim do post de 2009. De volta a 2015, reitero sem nenhum prazer que a cabeça de Dilma Rousseff — um deserto de ideias habitado pelo neurônio solitário — é exposta por esta coluna há cinco anos e meio.Nós todos sempre soubemos que o titanic lulopetista avançava na direção do iceberg. Não foi por falta de aviso que tantos brasileiros autorizaram nas urnas a consumação do naufrágio político, econômico e moral.

Governo Dilma atingiu 71% de reprovação no Rio de Janeiro / blog de Aluizio Amorim


REPROVAÇÃO AO GOVERNO DILMA SUBIU DE 10% PARA 71% NO RIO DE JANEIRO

A série histórica de pesquisas do instituto GPP na cidade do Rio de Janeiro mostra como a imagem da presidente Dilma Rousseff derreteu desde 2011, seu primeiro ano à frente do governo brasileiro. 
Em dezembro de 2011, 10% dos eleitores cariocas classificavam o governo Dilma como ruim ou péssimo. Em novembro de 2013, logo depois das manifestações que tomaram as ruas do país, esse índice saltou para 27%. E neste mês, a reprovação chegou ao auge na capital fluminense: 71% dos entrevistados dizem que a gestão da petista é ruim ou péssima.
Enquanto a avaliação negativa não para de subir, a positiva só faz despencar. Em dezembro de 2011, 57% dos cariocas classificavam o governo Dilma como ótimo ou bom. Hoje, essa taxa desabou para 7% dos entrevistados.
Na eleição do ano passado, Dilma superou o senador tucano Aécio Neves (MG) por 50 mil votos na cidade do Rio, uma margem de menos de dois pontos porcentuais. A pesquisa mais recente do GPP foi encomendada pelo ex-prefeito e hoje vereador do Rio, Cesar Maia (DEM). Do site da revista Época

Lugar de bactérias é o laboratório. .. // USA Today

http://www.usatoday.com/longform/news/2015/05/28/biolabs-pathogens-location-incidents/26587505/
Siga pelo link

 High-profile lab accidents last year with anthrax, Ebola and bird flu at the Centers for Disease Control and Prevention and the discovery of forgotten vials of deadly smallpox virus at the National Institutes of Health raised widespread concerns about lab safety and security nationwide and whether current oversight is adequate to protect workers and the public. Wednesday the Department of Defense disclosed one of its labs in Utah mistakenly sent samples of live anthrax -- instead of killed specimens – to labs across the USA plus a military base in South Korea where 22 people are now being treated with antibiotics because of their potential exposure to the bioterror pathogen. As many as 18 labs in nine states received the samples, the CDC said Thursday.
"What the CDC incidents showed us ... is that the very best labs are not perfectly safe," says Marc Lipsitch, a Harvard University professor of epidemiology. "If it can happen there, it certainly can happen anywhere."
Some people find little reassurance that nobody was sickened in the CDC accidents or in the historically low numbers of serious infections among lab workers generally, or that infections spreading into communities surrounding labs have been rarer still.
"Many of us think that's really a matter of good fortune," said Beth Willis, who chairs a citizen lab advisory panel in Frederick, Md., home to one of the nation's largest high-containment research campuses at the Army's Fort Detrick.

The country's best labs have robust safety programs, said Kenneth Berns, co-chair of a panel of outside lab safety advisers currently examining biosafety at CDC and other federal labs. Yet the systemic safety problems identified at the CDC's prestigious labs have raised questions about what's happening elsewhere. "It's a matter of some concern," said Berns, a distinguished professor emeritus of molecular genetics and microbiology at the University of Florida.
The consequences could be devastating if accidents were to occur with lab-created strains of deadly influenza viruses that are purposely engineered to be easier to spread than what's found in nature, said David Relman, a microbiology professor at Stanford Universitywho is a federal adviser on lab safety and a past president of the Infectious Diseases Society of America.
"You're talking about something that has the ability to take off, and we could not be confident of being able to contain it," he said.
Relman said that not enough is known about the state of safety at labs that perform infectious disease research but emphasized that the kinds of labs drawing concern are the same ones the public needs to discover important new treatments and vaccines. "We have to find some happy blend of minimized risk and enhanced benefit," he said.

Neurônio assassino | Augusto Nunes - VEJA.com // coluna de Augusto Nunes

Neurônio assassino | Augusto Nunes - VEJA.com

30/05/2015
 às 10:40 \
 Sanatório Geral

Neurônio assassino

 “E tem uma, tem uma pintura dela que eu acho genial, é… como é que é? Natureza Morta… Ai, eu tinha de lembrar a palavra.  Natureza Morta… é uma contradição em termos: de que que é o quadro? É uma natureza morta? Rodando, você entendeu? É ostand still a Natureza Morta, aí a Remedios Varo vai lá e faz… ela bota uma mesa e os componentes da natureza morta estão girando. O nome é interessantíssimo. O nome tem uma certa, uma certa ironia”.

Dilma Rousseff, na inacreditável entrevista ao jornal La Jornada, assassinando impiedosamente a natureza morta durante uma exposição sobre a vida e obra de “uma pintora fantástica” que, se a memória presidencial não falhou, atende pelo nome de Remédios Varo.

Capa do USA Today online

From USA Today 5 things you need to know this weekend http://usat.ly/1HBSy0y

Game 7: Tampa Bay Lightning center Brian Boyle (11)
1. Bracket almost set for Stanley Cup Finals
Either the Chicago Blackhawks or the Anaheim Ducks will face off against the Tampa Bay Lightning for the Stanley Cup Finals. The Western Conference Final Game 7 is Saturday night in Anaheim. The Lightning beat the Rangers Friday night, also in a Game 7 matchup. This is only the second time in the post-1967 expansion era thatboth conference finals have gone to a Game 7. "If I were to describe these playoffs in three words, I would use: exciting, unpredictable and sensational," Commissioner Gary Bettman told USA TODAY Sports

The Piauí Herald comenta sobre política do Brasil // Estadão

Resultado de imagem para the piaui herald




  • Alckmin envia Tropa de Choque para dar aulas na USP

    Alckmin envia Tropa de Choque para dar aulas na USP
    FFLCH - O governador Geraldo Alckmin convocou uma coletiva de imprensa para anunciar providências imediatas para pôr fim à greve de professores na USP. "O Estado não vai mais ficar pagando pra esses marxistinhas trólólós cruzarem os braços. Vamos colocar o efetivo da Tropa de Choque em ação para dar aulas para esses vagabundos", informou. — Leia o post completo.

  • Copa do Mundo de 2026 será na Papuda

    Copa do Mundo de 2026 será na Papuda
    ARENA - Após serem flagrados em posição de impedimento pelo FBI, dirigentes da Fifa apresentaram um novo esquema tático para o recebimento de propinas. "Não tem mais bobo no futebol", justificou Joseph Blatter minutos depois de exibir o novo sistema 1-7-1. "Embolou o meio de campo. Temos de nos atualizar para não tomarmos outro 7 a 1 do FBI", apressou-se em dizer José Maria Marin, já falando do presídio de Sing Sing, para onde foi transferido aproveitando a janela de extradição do futebol suíço. — Leia o post completo.

  • Revoltados On Line pedem impeachment do Vem pra Rua

    Revoltados On Line pedem impeachment do Vem pra Rua
    FAZENDA DE CLAUDIO - O presidente do PSDB, Aécio Neves, vem sofrendo pressões desde que abriu mão de pedir o impeachment de Dilma Rousseff. "O presidente do PSDB, líder da oposição, nos traiu. Virou comunista ou mariquinha. Por isso, nossa luta agora passa a ser também pelo impeachment de Aécio!", defendeu Benjamim Lacerda, líder do Revoltados Online, enquanto hostilizava uma senhora que passava na rua vestida de azul e amarelo. — Leia o post completo.

  • Dossiê Fachin - a farsa de um comunista

    Dossiê Fachin - a farsa de um comunista
    POLITBURO - Ciente de seu papel na verdejante democracia brasileira, este piauí Herald lançou mão de traças treinadas pelo FBI para identificar documentos, fotografias e provas concretas contra o ex-agente da KGB recém-infiltrado no STF: seu codinome é Luiz Edson Fachin. A ação resultou no Dossiê Fachin - a farsa de um comunista, que você vê a seguir com exclusividade. — Leia o post completo.

  • Ações da Petrobras registram alta após divulgação do trailer de Chatô

    Ações da Petrobras registram alta após divulgação do trailer de Chatô
    DIÁRIOS ASSOCIADOS - A divulgação do trailer de "Chatô" provocou uma onda de euforia no mercado. "Ainda há esperança no Brasil", suspirou Arquimedes Novaes, operador da Bovespa. "Pode ser o momento da virada para que as novas gerações acreditem no potencial do brasileiro em finalizar projetos de longo prazo", concluiu. Com o otimismo, as ações da Petrobras tiveram alta de 420%. — Leia o post completo.

  • Eduardo Cunha permitirá que Congresso se chame Arena Odebrecht

    Eduardo Cunha permitirá que Congresso se chame Arena Odebrecht
    SALA FRIBOI - Após aprovar uma mudança na Constituição que legaliza o financiamento privado de campanhas, o cancioneiro de Orlando Moraes e a pizza doce, Eduardo Cunha apresentou seus planos para o segundo semestre. "O momento é difícil e exige criatividade. Precisamos estar abertos para os novos tempos”, declarou, para logo emendar: “Nada mede o tempo como os relógios Longines, novo patrocinador oficial do painel de votação do Congresso.” — Leia o post completo.

  • O Globo lança coluna de Merval Pereira para colorir

    O Globo lança coluna de Merval Pereira para colorir
    JARDIM SECRETO - Em iniciativa editorial inédita no Brasil, o jornal O Globo reformulará a coluna diária de Merval Pereira. "Estamos alinhados com o que acontece na vanguarda do mercado de livros", ilustrou o editor executivo Pedro Doria. "Em vez de frases impenetráveis, publicaremos desenhos inspirados no raciocínio diário de Merval. Os leitores poderão colorir, desde que não usem a cor vermelha", completou. — Leia o post completo.

  • CPI pede exumação do PT

    CPI pede exumação do PT
    COLÉGIO SION - O presidente da CPI da Petrobras, deputado Hugo Motta, apresentou um requerimento pedindo a exumação do PT. "Há rumores de que o Partido dos Trabalhadores possa estar vivo", explicou, para espanto geral. "Desconfio que o PT esteja se fingindo de morto para que a investigação sobre o petróleo se volte para José Janene, que foi visto num iate em Miami", completou, soturno. — Leia o post completo.

  • Joaquim Levy hipoteca Roraima

    Joaquim Levy hipoteca Roraima
    BOA VISTA - Obrigado a recorrer à economia criativa para evitar que o Brasil fique negativado, o Ministro da Fazenda, Joaquim Levy, apresentou um pacote de ajuste fiscal 2.0. "Já reuni toda a documentação para dar entrada a um pedido de crédito consignado no Cacique. Como garantia, hipotequei Roraima", comunicou. — Leia o post completo.

  • Fernandinho Beira-Mar nega ser petista: "Esse crime eu não cometi"

    Fernandinho Beira-Mar nega ser petista: "Esse crime eu não cometi"
    BANGU 13 - Convocado às pressas para prestar depoimento, Fernandinho Beira-Mar exasperou-se ao ser confrontado com novas acusações. "Eu fui traficante, confesso. Estive envolvido em todo tipo de barbárie. Mas, por favor, não me venham acusar de petismo". Após uma pausa para conter a emoção, ainda com a voz embargada, completou: "Esse crime eu não cometi". — Leia o post completo.

sexta-feira, 29 de maio de 2015

Crônica que contém passado, presente e futuro ... nem tanto // Maria Helena Rubinato Rodrigues de Souza / blog de Ricardo Noblat

POLÍTICA

No coração do Rio

"Chega-se a ser grande por aquilo que se lê e não por aquilo que se escreve". Jorge Luís Borges
Como sempre fazia, entro na Da Vinci e vou até o fundo, para, antes de ‘viajar’ pelas prateleiras, cumprimentar dona Vanna. E quem encontro sentado em altas negociações com a livreira?  Luis Antonio, “sobrinho” querido, filho de amigos da vida inteira, então com menos de 15 anos, a negociar os pagamentos dos livros de Astérix que levava e dos que encomendava.
Fiquei parada, atrás dele, em silêncio, impressionada com a capacidade de negociação do garoto e mais ainda, com o modo como dona Vanna lidava com o cliente, confiando na sua palavra e anotando, em um caderno, só o nome dele e suas encomendas.

Telefone? Endereço? Nome dos pais ou responsáveis? Não, nada disso foi necessário. Ali bastava a palavra do leitor. Que se tornou tão fiel que depois dos Astérix passou a comprar ali a série Dungeons and Dragons...
Fachada Casa Daros  (Foto: Jacqueline Felix )
Fachada Casa Daros (Foto: Jacqueline Felix )
Terminado o assunto entre os dois, Luis Antonio se levanta e caminha tão apressado para a porta que nem me vê. Comento com dona Vanna meu espanto e pergunto se agindo assim ela não leva muitos prejuízos. E ela: “Poucos. De adultos. Mas de um jovem, menino ainda, que sabe muito bem o que quer e que é um leitor interessado no que lê... Não. Por esse ponho minha mão no fogo”.

Quem quisesse ler e precisasse pagar em mensalidades, tinha em dona Vanna uma aliada. Velho ou menino, não importava, importava que o leitor amasse os livros como ela os amava. Ali encontrávamos os últimos livros saídos na França e toda a coleção da Bibliothèque de La Pléiade, tentação que até hoje me fascina e que só mesmo em parcelas era possível comprar.
Dona Vanna amava ler. E transmitia esse afeto a quem a procurava. Foi Borges quem disse que imaginava o paraíso como uma grande livraria. Concordo com ele e digo mais: o meu céu se parece com as duas salas maiores da Leonardo da Vinci, abarrotadas de livros, com suas lombadas tentadoras como a nos dizer “me pega”!
A Leonardo da Vinci, assim como a finada Casa Crashley, faziam do centro do Rio a sucursal do paraíso. Na Crashley comprei os livros da Jane Austen que marcaram minha adolescência; foi onde conheci Agatha Christie, Somerset Maughan, Hemingway e Graham Greene.

Ontem li em O Globo que a filha de dona Vanna, Milena Duchiade, declara sua livraria “inviável”. Doeu. A Da Vinci atravessou um incêndio tenebroso, passou pela estupidez dos anos de chumbo. Giovanna Piraccini, italiana de Bolonha, com seu sotaque marcante, dizia, em alto e bom som o que pensava das dificuldades que os milicos impunham à importação de livros, não escondia de ninguém que nada é mais importante que a liberdade de escolha e que a censura é burra.

Mas a livraria não atravessa o que fazem com o Rio, que anda tão acabrunhado... Já perdemos tantas coisas. Noutro dia o Elio Gaspari pediu que alguém salvasse a Casa Daros, o belo casarão em Botafogo. Sugere que milionários brasileiros façam como os Gulbenkian, os Rockefeller, os Frick, os Wallace e se unam para salvar o museu.


Vou nas águas do excelente jornalista e sugiro: que tal os milionários (e temos tantos, não é? nunca tivemos tantos) se unirem e transferir a Livraria Leonardo da Vinci para a Casa Daros? Não vejo, em parte alguma, melhor acervo para aquele belíssimo casarão que os livros das prateleiras da grande livraria em perigo.