Postagem em destaque

Ferreira Gullar no blog de Ricardo Noblat

POEMA DA NOITE Traduzir-se Ferreira Gullar 04/12/2016 -  23h00 Uma parte de mim é todo mundo: outra parte é nin...

domingo, 18 de setembro de 2016

Notícias horrorosas de Brasília... Coluna de Claudio Humberto

sábado, setembro 17, 2016


COLUNA DE CLAUDIO HUMBERTO

MP PORTUGUÊS LIGA COMPRA DA OI A AMIGO DE LULA


O Ministério Público de Portugal investiga o pagamento de propina ao ex-primeiro-ministro José Sócrates, do Partido Socialista, na venda da Portugal Telecom à espanhola Telefonica da sua participação na brasileira Vivo, e sua posterior entrada no capital da Oi. O MP concluiu que a compra da Oi “satisfez” interesses políticos de José Sócrates no Brasil. Amigo de Lula, o socialista é acusado de corrupção, fraude fiscal e lavagem de dinheiro (ou “branqueamento de capitais”, em Portugal).

ALINHAMENTO POLÍTICO

Para o MP, o “alinhamento político” foi decisivo para facilitar venda da posição da Portugal Telecom na Vivo à Telefónica e entrada na Oi.

PORTA DA CORRUPÇÃO

A compra da Oi, diz o procurador português Rosário Teixeira, acabou “abrindo a porta ao recebimento de novas comissões indevidas”.

BASTIDORES

O ex-primeiro-ministro, segundo o MP português, esteve nos bastidores dos negócios de compra e venda de empresas de telefonia no Brasil.

AÇÃO CIVIL PÚBLICA PODE IMPEDIR DILMA DE VOTAR

Advogados ligados à defesa da ex-presidente Dilma estão preocupados que uma ação civil pública, de qualquer cidadão, provoque decisão da Justiça determinando o cumprimento da regra constitucional que vincula impeachment à suspensão de direitos políticos por 8 anos. O Senado “fatiou” o art. 52 da Constituição, suprimindo a punição, mas, se provocada, a Justiça pode confirmá-la e até proibir Dilma de votar. 

STF FEZ O ALERTA

Ministros do STF alertaram para a possibilidade de a Justiça comum fazer valer a suspensão dos direitos políticos de Dilma.

CASO CONCRETO

“Ao examinar caso concreto, qualquer juiz determinará o cumprimento da Constituição”, prevê um ministro do STF que presidiu o TSE. 

CATATONIA

Até agora, a antiga oposição parece não haver percebido que Dilma, mantendo seus direitos, poderá até votar em outubro.

VENCEDOR

O Grupo Espírito Santo, ao qual Sócrates se ligou, foi “vencedor” dos negócios envolvendo a Portugal Telecom, diz o procurador

AINDA EM ABERTO

O ator e militante petista José de Abreu pediu passagem Paris-Brasília como condição para depor na CPI da Lei Rouanet, na Câmara. Em vez de debochar dos deputados, deveria se preparar para explicar por que não prestou contas de R$ 299 mil que obteve com os favores da lei.

CRIME É ORGANIZADO

Como já ficou demonstrado, não foi dita a frase “não temos provas, temos convicção”, atribuída ao procurador Deltan Dallagnol. É a guerra de comunicação do crime organizado contra a Lava Jato.

OFENSA GRATUITA

Além de insultar servidores concursados, Lula ofendeu, quinta, 15, até a Polícia Federal. Disse que mandou “procurar grampos” em sua casa, após a PF cumprir mandado de “busca e apreensão”.

VELHO TRUQUE

Sempre que se vê às voltas com acusações que não pode explicar, o ex-presidente Lula recorre ao truque de desqualificar os denunciantes, ligando-os a seus opositores, e apelar às lágrimas. Fez de novo.

PT AINDA NO GOVERNO

A Eletrobrás escolheu para diretor de Operações Carlos Baldi, ex-diretor da Neoenergia, empresa controlada por petistas na Previ, do Banco do Brasil, por indicação de Ricardo Berzoini. 

COMPROMETIDO

Novo líder do PSDB, Paulo Bauer (SC) afirma que o partido tem compromisso com o governo Michel Temer. “Temos que vencer as dificuldades”, disse em entrevista ao Diário do Poder.

TETO DOS GASTOS

Darcísio Perondi (PMDB-RS) acertou com o governo o adiamento da proposta que limita os gastos públicos, para a primeira semana de outubro. A Fazenda acredita que a votação será depois das eleições.

PENA ANIMAL

A Comissão de Constituição e Justiça do Senado aprovou projeto de lei que aumenta penas para agressores de animais. O projeto é do deputado Ricardo Tripoli (PSDB-SP).

PERGUNTA NO SINE

O Ministério do Trabalhou incluiu Dilma nos 1,5 milhão de empregos com carteira assinada que o governo dela suprimiu em 2015?

PODER SEM PUDOR

ASSUNTOS ALEATÓRIOS

Em encontro com o então deputado Peniel Pacheco e o presidente do PDT-DF, Georges Michel, o saudoso ex-ministro do STF Maurício Corrêa tentou convencê-los a negociar um acordo político com o governo do Distrito Federal. Talvez o partido ganhasse uma "Secretaria Extraordinária de Assuntos Especiais". Peniel estremeceu:
- Dr. Maurício, por favor, não divulgue isso... Se os jornais descobrem o nome dessa secretaria...