domingo, 7 de maio de 2017

Nenhuma nação está segura diante da complexidade do momento atual das relações de interdependência das comunidades do mundo...

http://avaranda.blogspot.com.br/2017/05/momento-de-definicao-affonso-celso.html?m=1

Momento de definição - 

AFFONSO CELSO PASTORE

ESTADÃO - 07/05


O populismo destrói a economia, mas, sem esperança, é o ópio que ilude os eleitores


Pouco antes da quebra do Banco Lehman Brothers, havia dois cenários no mercado financeiro internacional. O primeiro – de maior probabilidade – é que o Lehman não quebraria. Afinal, ele era “too big to fail” (grande demais para quebrar), e apenas alguns meses antes a crise havia sido evitada com a compra do Bear Sterns pelo J.P. Morgan. Se não fosse por um “pequeno detalhe”, a história poderia ter se repetido: o Lehman foi oferecido ao Barclays, que se interessou pela compra, mas para fugir do risco de “importar” a crise, as autoridades inglesas somente autorizariam a transação caso o governo norte-americano garantisse que o passivo que levou a instituição à falência ficaria nos EUA. Alegando que evitava o “moral hazard”, o secretário Paulson negou a autorização, precipitando a fase aguda da crise de 2008/2009. A moral da história é que uma probabilidade baixa não é garantia de não ocorrência de um dado evento.